Economia

Copom se reúne e Selic deve sofrer novo ajuste



O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) começa, nesta terça-feira (14), a quarta reunião de 2022 para definir o novo patamar da Taxa Selic, taxa básica de juros do país.

O comitê faz as reuniões a cada 45 dias e no primeiro dia são feitas apresentações sobre a economia interna e externa, perspectivas do setor, possíveis impactos e avaliam o comportamento do mercado financeiro. 

Ao fim do segundo dia de encontro, os membros anunciam a nova taxa, que será vigente pelos próximos 45 dias.

Economistas e especialistas esperam que o Copom finalize o ciclo de aumentos dos juros nesta ocasião, apesar da pressão sobre a inflação. A expectativa é que a Selic seja reajustada de 12,75% ao ano para 13,25%, um aumento de 0,5 ponto percentual que poderia vigorar até o fim do ano.

A taxa Selic é o principal instrumento econômico para conter a inflação, que deve alcançar 9% este ano segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Este número ultrapassaria significativamente a meta da inflação para 2022 que deve ser perseguida pelo BC, que  foi definida em 3,5%, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo, ou seja, o maior valor que poderia ser atingido é 5%.

A estimativa dos especialistas do mercado é que o teto da inflação será estourado pelo segundo ano seguido.

Fim do aperto monetário

A taxa Selic entrou em um ciclo de alta em março de 2021, quando foi elevada de 2 para 2,75% e desde então foram registrados aumentos consecutivos que resultaram em uma elevação de 10,75 pontos percentuais até agora.

O fim dos aumentos é esperado devido a ata da última reunião do Copom, quando os membros sinalizaram que gostariam de concluir o ciclo de alta já que as elevações dos últimos meses ainda estão sendo sentidas pelo mercado.



Fonte: Portal Contábeis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.