Trabalhista

conheça o novo benefício empresarial



Os pets estão ganhando cada vez mais espaço nos lares das famílias brasileiras e, apenas durante a pandemia, segundo a pesquisa Radar Pet 2021, o número de animais de companhia aumentou cerca de 30% no país.

Com essa tendência crescente, algumas empresas estão incluindo um novo benefício em seu rol de vantagens: a licença PETernidade. Com essa licença, o trabalhador, mediante comprovação, poderá ficar até dois dias afastado da função, sem desconto ou prejuízo, para cuidar do seu novo companheiro.

O benefício trabalhista ainda é considerado pouco comum e visa ajudar o colaborador na adaptação do animal ao novo lar, minimizando, ou até evitando, a possibilidade de estresse e até mesmo algumas doenças.

A licença foi criada pela empresa Petz, do ramo de serviços para animais, em 2021 e ganhou a adesão de outras empresas, com o intuito de incentivar a adoção responsável, promover o bem-estar animal e fortalecer as conexões entre pets e tutores. De acordo com a empresa, mais de 50 funcionários do grupo já usufruíram do benefício desde então.

Para a Vivo, que também aderiu à iniciativa em maio de 2021, a licença é uma forma de estender o cuidado e a atenção também para os animais dos nossos colaboradores, além de estimular a adoção. “Isso nos diferencia como marca para atração e retenção dos nossos talentos”, disse a empresa, por meio de comunicado.

A fabricante de alimentos para cães e gatos Royal Canin, que já vem concedendo uma folga a quem se torna tutor de um pet desde 2018, disse que o número de associados com pets aumentou bastante durante a pandemia.

“Desde 2020 tivemos um maior número de solicitações para o uso do benefício e continuamos incentivando a todos a utilizarem a licença, pois nosso desejo é o de que cada vez mais pessoas conheçam os incríveis benefícios que a interação humano-animal oferece”, explicou a diretora de RH da Royal Canin Brasil, Juliana Gonçalves.

Como funciona

Cada companhia possui seu próprio regulamento, mas o princípio é o mesmo: ao realizar a adoção de um cão ou gato, o trabalhador deve notificar o departamento de Recursos Humanos (RH) da empresa que aderiu à Licença PETernidade, apresentando as devidas documentações que comprovam a iniciativa — como certificado emitido pela ONG, por exemplo. Assim poderá usufruir do tempo de licença para cuidar do pet.

“Diferentes de uma folga ou um prêmio, esses dias de ausência no trabalho vão possibilitar que o novo tutor se dedique à chegada do pet. O bem-estar do animal também reflete positivamente no bem-estar dos nossos colaboradores”, declarou o setor de RH da Petz, por meio de comunicado.

Com informações g1



Fonte: Portal Contábeis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.