Com redução do auxílio emergencial, Brasil terá 61 milhões de pessoas na pobreza